Homem-Aranha "finalmente" De Volta ao Lar

Comentarios



2002 o ano em que Sam Raimi nos traz o Homem-Aranha para as telonas, na ocasião Tobey Maguire era o teioso e de uma forma até honrosa remetendo muito aos quadrinhos clássicos do personagem. 2012, Marc Webb volta com um reboot, O Espetacular Homem-Aranha com Andrew Garfield no papel principal — que lembrava muito a versão Ultimate do Amigão da Vizinhança. Com Raimi tinha muita referência ao material original e um certo “receio” de ousar, com Webb parecia uma produção “geral”. Nos dois casos, tivemos bons filmes, bons momentos mas nada muito marcante. No entanto Homem-Aranha: De Volta ao Lar mostra a melhor versão do personagem.




John Hughes como inspiração

Um dos grande acerto de De Volta ao Lar está no clima e ambientação, certamente inspirados em John Hughes, cineasta que nos deu clássicos como, Mulher Nota Mil, Clube dos Cinco e Curtindo a Vida Adoidado. Jon Watts, diretor do filme, em nenhum momento esconde a influência de Hughes no modo de condução das cenas que dar um clima mais agradável, divertido, nostálgico e juvenil. Na versão de Raimi existia momentos em que Peter se questionava o que estava fazendo, se era certo ser herói e todo existencialismo, mas nessa versão os dramas adolescentes são mais regulares, comuns até, tentar pertencer a um grupo, tentar superar o medo de se conversar com aquele seu amor platônica (crush na atualidade), provas escolares e afins. Com isso, Watts soube conduzir bem todos os atores, que sabiam alternar muito bem entre a seriedade e a comédia.

Peter Parker o herói sem mascara

Watts conseguiu captar a essência do Aranha e assim entendeu que acompanhar os dramas da vida do Peter é muito mais divertido e envolvente do que grandes batalhas com explosões, raios azuis e todos arsenal de clichês dos filmes de super-herói atualmente. Porém, por ser um blockbuster, ele tem sim que tudo isso e cenas grandes de ação, mas ele vai na contra-mão das outras produções do gênero, pois tudo isso fica em segundo plano, focando na história do herói e em sua evolução.

Homem-Aranha se tornou um sucesso por tratar da história de um adolescente que passava pelas coisas que a maioria passava, isso tornou o personagem mais único, mais amigo. De Volta ao Lar traz esse espírito que faz o público se conectar ainda mais com o desenvolvimento. Tom Holland entrega um Peter e um Aranha que poderia ser um de nós, um nerd fã de Star Wars que de repente está pulando em prédios e salvando o dia — quem não ficaria empolgado com isso, e Holland soube demonstrar isso muito bem. É claro que o resto da equipe também brilha, Laura Harrier, que vive Liz, a paixonite de Peter e Jacob Batalon, fazendo Ned Leeds, o melhor amigo do herói e que funciona também como um espelho, dos nerds conhecendo um super-herói de verdade. Zendaya dá a Michelle um toque peculiar, lembrando Ally Sheedy em Clube dos Cinco. No time adulto, Marisa Tomei traz à tia May uma personalidade mais descolada e se difere das outras duas encarnações da personagem. Jon Favreau como Happy Hogan fazendo o papel de “tio rabugento”, enquanto Robert Downey Jr. bota em Tony Stark um jeitão meio pai, meio irmão mais velho, que se torna, necessário para o arco narrativo de Peter.



Um Vilão Marcante

Sabemos que a Marvel(Universo Cinematográfico) não tem um bom Arsenal de vilões, pelos menos vilões mau aproveitados, exceto por Loki que até hoje perpetua os corações dos nerds. De Volta ao Lar nos mostra um vilão bem habituado e apto ao entendimento do grande público, claro que isso é graças ao trabalho de Michael Keaton e a equipe de roteiristas, que soube expressar bem o que e o por que da motivação do vilão. Outro ponto positivo para o vilão é seu “traje” bem imponente e assustador em alguns momentos, diferente de um velho careca com asas, como na versão do quadrinhos.

Não temos aquele vilão quer dominar o mundo e destruir todos a sua volta, temos um cidadão de classe média normal, que fica cansado de uma opressão sistemática causada pelo capitalismo e decide burlar as leis e fazer o que bem entende. Suas motivações ficam claras quando em determinado momento do filme ele fala com Peter e o público consegue entender seu posicionamento.



EI, ho, Vamos!

Como virou moda em Guardiões da Galáxia, De Volta ao Lar também traz uma boa trilha sonora, sendo a principal ea imortal “Blitzkrieg Bop”, dos Ramones — conhecida no popular como “Hey, Ho, Let’s Go!” — a trilha composta por Michael Giacchino (Lost; Up) é muito bem executada, que traz tema clássico do herói e dá um clima extra para as cenas. Em, De Volta ao Lar, o pop não é só uma referência nostálgica como nos dois Guardiões ele entra mais como um elemento que ajuda a reforçar a atmosfera jovem e o clima descontraído criado por Watts.



Homem-Aranha: De Volta ao Lar, agrada quem já conhece o herói, tanto por filmes anteriores ou pelos quadrinhos, mas também quem não conhece nenhum material do Teioso. O novo filme do Amigo da Vizinhança consegue mesclar elementos clássicos e modernos que deixa o público com sabor de quero mais. Cria o mesmo efeito que as melhores histórias da Marvel já fizeram.


Homem-Aranha: De Volta ao Lar chega aos cinemas brasileiros no dia 6 de julho. E você pode conferi-lo em em tecnologia 3D no Centerplex cinemas do Shopping Via Sul.

Nota do Crítico: 9,6 Gnomos.

#Compartilhar: Facebook Twitter Google+ WhatsApp Linkedin Technorati Digg