A Múmia, O início OK do Dark Universe, da Universal.

Comentarios





A Múmia - Review



Um início OK para o Dark Universe.


O novo filme do Tom Cruise é mais do que um filme, e mais do que seu exercício de correr (todos sabemos que todo filme ele corre, já virou um exercício). Esse filme traz a ideia da Universal Pictures, estúdio por trás deste A Múmia, de criar um universo cinematográfico compartilhado, como faz a Marvel e a DC atualmente, no qual os filmes estão interligados através de seus personagens.
No entanto a ideia não é novidade, o estúdio já tentou transforma isso em uma grande franquia. A Universal não possui super-heróis de fato, mas ela possui os maiores monstros do cinema. Que alias, muitos deles ajudaram não apenas a solidificar o nome do estúdio nas telonas, mas também a criar o que temos hoje em relação a cultura pop.

Em A Múmia, Tom Cruise protagoniza o aventureiro agente do governo Nick Morton. No entanto, a história tem início há milênios, quando no Egito antigo, a bela Ahmanet (Sofia Boutella) é a herdeira do império. Quando pronta para assumir, ela ganha um irmão bebê e seu sonho de reinar se esvai. Rancorosa, ela entrega sua alma às trevas, sendo possuída por espíritos malignos e comete atos horrendos. Como punição, ela é mumificada. O resto você já imagina: ela é redescoberta no presente e começa a aterrorizar os protagonistas.
A Múmia pode ser encarada de diferentes formas. Se você espera diálogos fortes, desenvolvimento de personagens ou certa fidelidade ao material original, você irá se juntar ao grupo de hatters (cada vez maior), prontos para falarem mal do filme. O plano de Ahmanet acaba sendo o de sempre, querer dominar o mundo, mas com uma ressalva, ela tem que fazer com o Tom Cruise, por que ele é o escolhido do Mal. A personagem de Annabelle Wallis, carismática como nunca, pronta para brilhar, porém, sua personagem acaba sendo “o interesse amoroso” ou “a donzela em perigo” e isso acaba ofuscando sua performance.

Porém, se você for assisti-lo com o estado de espírito certo, deixando o senso de realismo de lado, e simplesmente ligar o botão da diversão em seu cérebro, poderá sim encontrar o valor de entretenimento. Assim como os blockbusters Velozes e Furiosos e Triplo X, o novo A Múmia é chiclete para o cérebro. Dito isso, as cenas são boas e funcionam como pedaços, bem confeccionados. Existe, inclusive certos elementos de terror, e acredite, funcionam. Uma reclamação quanto a parte técnica é que o filme soa muito escuro o tempo todo, mas essa talvez seja a intenção.

Alex Kurtzman, produtor de sucesso da indústria, se sai bem no comando de sua primeira superprodução. A Múmia tem boa intenção e isso garante pontos a seu favor. Tem Cruise fazendo o que sabe de melhor, bons coadjuvantes e um roteiro, que se não é dos mais coesos, ao menos entretém . Ah! Uma coisa. O filme faz, e bem, trazer pela primeira vez a antagonista como uma mulher, ameaçadora, fulminante e pra lá de sexy. Sofia Boutella ganha vida e está pronta para permear nossos pesadelos… Ou sonhos. E que venham mais filmes do Dark Universe.




Nota do crítico - 3,5 Gnomos

A Múmia estreia hoje, 08e março nos cinemas de todo Brasil, mas você pode assisti-lo em 3D no Centerplex cinemas do Shopping Via Sul.

#Compartilhar: Facebook Twitter Google+ WhatsApp Linkedin Technorati Digg