Game of Thrones | Encontros e estratégias são os destaque no terceiro episódio

Comentarios

Daenerys (Emilia Clarke) e Jon (Kit Harington) finalmente se encontraram em The Queen’s Justice. Pode não ter sido um evento explosivo, mas com certeza foi uma faísca do que está por vim. Ainda houve espaço para um interesse mútuo, despertado pelo pedido de perdão da Khaleesi pelas atrocidades cometidas por seu pai, Aerys, o Rei Louco e o quase relato, da morte de Jon Snow, por sor Davos (Liam Cunningham).

Os dois com certeza serão peças fundamentais para o desenrolar da história — afinal, como Melisandre (Carice van Houten) disse, trata-se da reunião de “gelo e fogo”. Claro que também deverá resultar em uma aliança, que Tyrion (Peter Dinklage) já começou a moldar. No entanto, se Bran (Isaac Hempstead Wright) com seguir revelar sobre a origem de Jon, talvez as coisas peguem outro rumo.

Se temos um “casal” em dragonstone temos um “triângulo” no sul, formado por Cersei (Lena Headey), Jaime (Nikolaj Coster-Waldau) e Euron (Pilou Asbæk). O modo que entra em Porto Real, exibindo as recém-capturadas Yara Greyjoy (Gemma Whelan), Ellaria (Indira Varma) e Tyenne Sand (Rosabell Laurenti Sellers), e as provocações ao regicida nos mostram que o rei das Ilhas de Ferro tem tudo para se tornar um dos principais vilões da temporada.

Já no Norte, Sansa (Sophie Turner) mostrou-se bem à vontade e confiante no comando, algo que lorde Baelish (Aidan Gillen) não deixou de notar. Se antes víamos ela como influenciada e aparentemente fácil de ser controlada, nos últimos tempos ela tem se mostrado esperta o suficiente, até mesmo para lidar com a influência do Mindinho e quem sabe controla-lo. Isso é visto quando logo que fica a sós com Bran, Sansa fez questão de lembra-lo da primazia do irmão ao posto de senhor de Winterfell — seria indício de um desejo de derrubar Jon?

Mantendo o bom ritmo do episódio anterior, pode-se dizer que The Queen’s Justice teve como foco principal os planos de cada jogador. Os dois ataques retratados no final destacaram muito mais as estratégias empregadas do que a ação em si. Os Imaculados só conseguiram invadir Casterly Rock graças ao conhecimento de Tyrion. No entanto, ao chegar lá, descobrem a astúcia de Jaime: cercar a força principal de Daenerys em uma posição de pouca importância estratégica, deixando suas tropas livres para invadir Jardim de Cima, lar dos Tyrell.

Diga-se de passagem o diálogo entre o regicida e lady Olenna (Diana Rigg) foi um dos pontos altos do episódio. Além de revelar ser a responsável pela morte de Joffrey (Jack Gleeson), a Senhora dos Espinhos ainda tentou, sem sucesso, convencer Jaime de que sua irmã é um monstro. Talvez ele só se dê conta disso quando for tarde demais. Afinal, como o próprio personagem observou: “Meu pai sempre disse que eu aprendo devagar”.

#Compartilhar: Facebook Twitter Google+ WhatsApp Linkedin Technorati Digg