Sadako vs. Kayako - Review

Comentarios

Hoje tive a chance de ver um dos crossovers tão esperados da história entre os filmes de terror. Depois de Freddy vs. Jason lançado em 2003,  Alien vs Predador de 2004, recentemente ganhamos Sadako vs. Kayako, ou comumente chamado O Grito vs. O Chamado. Lançado no Japão em junho de 2016, o longa reune as duas lendas urbanas mais famosas do extremo oriente na tentativa de uma acabar com a maldição da outra.

O crossover em si é meio desequilibrado, Sadako rouba mais as cenas, isso é inegável. Já Kayako, que tem seu nome no título, mal dá as caras, enquanto Toshio aparece várias vezes. Com o tempo isso vai ficando chato e a impaciência só aumenta. 

O professor Shinichi em uma de suas aulas fala sobre as lendas urbanas mais conhecidas do Japão, e entre elas a de Sadako Yamamura, que acaba chamando a atenção das estudantes Yuri e Natsumi. Após saberem um pouco mais sobre a maldição, as jovens vão à uma loja conveniência e procuram por um reprodutor de vídeo cassete, que por coincidência acabam por comprar um que já contém o famoso VHS. Após comprarem o aparelho com a fita, uma funcionária comenta sobre o vídeo amaldiçoado: você assiste á fita, assim que terminar o telefone toca e você possui apenas, não sete, mas sim dois dias de vida, e a maldição só acabará se você passar o vídeo para uma outra pessoa. Em meio a tantas enrolações, as garotas resolvem ver o vídeo, mas, Natsumi é a primeira a ser amaldiçoada. Após o ocorrido, as jovens pede ajuda ao seu professor, que logo recorrem à uma exorcista, e é claro que depois disso, a situação não acaba muito bem.

Após o ocorrido, o foco muda para a personagem Suzuka. A jovem acaba de se mudar para morar vizinho a casa mais assombrada do Japão. Onde morreram Kayako e Toshio Saeki. Coisas estranhas acontecem na casa e que deixam Suzuka desconfiada, afinal, ela não sabe a verdadeira história de lá. Logo, suas amigas do colegial contam a verdadeira história, que acaba deixando Suzuka ainda mais curiosa para saber o que de fato há lá dentro. O que mais deixa a jovem intrigada foi o desaparecimento de quatro crianças, após ela avistar os mesmos em frente a casa e com cara de que iriam aprontar. 

Logo após esse ocorrido, Suzuka fica mais curiosa e finalmente entra na casa, que em seguida também não acaba muito bem.

Voltando para Yuri e Natsumi, em meio a confusão do exorcismo surge o médium Kyozo com sua acompanhante Tamao (é aí e que entram mais dos (de)feitos especiais). O médium fascinado por ambas histórias quer dar um jeito de ajudar as meninas e vencer as duas maldições. Kyozo e Tamao aparecem nos intervalos de cena de Yuri e Natsume e com Suzuka. Após isso, Yuri e Suzuka se conhecem para tentar vencer a maldição. Para isso, ambas precisam ver a fita de Sadako dentro da casa de Kayako, o que seria parte do ritual - bem furado. E assim acontece a tão esperada manifestação de Sadako e Kayako, que brigariam até a "morte" mas as mesmas esquecem de suas vítimas. A partir daí o que não tava tãaaao bom, piora. As cenas são mal editadas e ridículas, uma pior que a outra. "Caralho, que porra  é essa!?" será a sua reação. O filme não é lá essas coisas, mas dá pra assistir e levar uns sustinhos. 

NOTA: Tem cena pós créditos


Ringu (O Chamado) e Ju-On (O Grito) são obras originalmente japonesas, que também foram adaptadas para o cinema americano, intitulados de The Ring (O Chamado) e The Grudge (O Grito). Ambas adaptações americanas com três sequências cada, enquanto as japonesas seguem com mais volumes. Poderíamos esperar uma adaptação americana de Sadako vs. Kayako? Poderia ficar tão boa quanto? (Acho que sim, rs) O filme possui a direção de Kôji Endô e roteiro de Takashi Shimizu e Koji Suzuki.

#Compartilhar: Facebook Twitter Google+ WhatsApp Linkedin Technorati Digg